Casas populares terão energia solar em São Paulo

Projeto piloto é uma parceria entre Secretarias Estaduais, distribuidoras de energia e CDHU, que prevê reduzir a conta de luz das famílias de baixa renda e fomentar a geração de energia fotovoltaica

Um trabalho conjunto das Secretarias de Energia e Mineração e da Habitação, por meio da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), com as concessionárias de distribuição de energia, prevê a instalação de placas solares fotovoltaicas nas casas construídas pela CDHU, com recursos do Programa de P&D da Aneel, para a geração de até 80% da energia consumida pelas famílias. O projeto piloto tem como objetivo estabelecer um padrão para futuras construções, fomentar a energia fotovoltaica no setor residencial e aumentar a participação da geração solar na matriz energética do Estado.

Na primeira fase, serão instalados sistemas fotovoltaicos em 14 unidades habitacionais do Conjunto Habitacional em Pontes Gestal e mais outras 8 unidades no Conjunto Habitacional em Elisiário. Também está em desenvolvimento outros projetos semelhantes para 93 residências em São José dos Campos e 104 unidades residenciais na cidade de São Paulo.

Nesta primeira fase do projeto o morador não terá nenhum custo. Na segunda fase, os custos serão incorporados ao valor do empreendimento, de forma que estes sejam menores que o atual e que isto impacte da menor maneira possível no preço final da habitação. O preço total do imóvel tem que ser mantido dentro dos padrões dos programas da CDHU.

O convênio de cooperação assinado nesta quarta-feira, 21 de dezembro, faz parte do compromisso do Estado em reduzir as emissões de gases de efeito estufa, diversificar a matriz energética, aumentar a segurança energética e ampliar a participação de fontes renováveis no portfólio de geração de energia conforme determina o Plano Paulista de Energia (PPE) e a Política Estadual de Mudanças Climáticas (PEMC). A parceria vigorará pelo prazo de dezoito meses, contados da data de sua assinatura e poderá ser prorrogada.
“A geração de energia elétrica a partir do aproveitamento do potencial solar existente em território paulista se mostra imprescindível para o aumento da segurança energética, desenvolvimento do setor, geração de emprego e renda no Estado”, disse o secretário de Energia e Mineração João Carlos Meirelles.

Em 2015, as 16 milhões de residências no Estado foram responsáveis pelo consumo de 30% de toda energia consumida segundo o balanço energético publicado em setembro pela Secretaria de Energia e Mineração.
“Esta parceria do Governo do Estado com as concessionárias irá permitir consolidar esta iniciativa em grande escala. O objetivo é que os moradores possam economizar na conta de energia e incentivar o uso de energia renovável”, afirma o secretário da Habitação Rodrigo Garcia.

A Secretaria da Habitação desenvolve estudos e possui diretrizes para o aprimoramento da política de sustentabilidade dos empreendimentos habitacionais como o uso racional e aquecimento da água nas residências. Agora, esse projeto piloto vai estabelecer as recomendações, diretrizes e especificações técnicas para os próximos empreendimentos.

“A CDHU sempre buscou a inovação nos seus empreendimentos, com a introdução de tecnologias. Temos uma larga experiência com aquecedores solares, que ajudou a consolidar o seu uso em moradias em geral, não só nas casas populares. Agora a introdução de energia fotovoltaica é mais uma conquista da companhia e representa investimento responsável que traz o melhor retorno”, disse o presidente da CDHU, Marcos Penido. O uso de aquecedores solares em empreendimentos da CDHU gera uma economia de 12,7 mil MWH/mês, o que equivale ao consumo mensal de uma cidade de 311 mil habitantes, como por exemplo, Presidente Prudente.

As concessionárias AES Eletropaulo, Elektro, EDP Bandeirante, CPFL Energia e Energisa estão participando desses projetos em conformidade com Aneel  (Agência Nacional de Energia Elétrica), que determina para as distribuidoras a obrigatoriedade de investir 1% da receita operacional liquida em eficiência energética e pesquisa e desenvolvimento.

Sobre o potencial de geração solar no Estado
A Subsecretaria de Energias Renováveis coordenou os estudos que apontam o potencial de energia solar do Estado de São Paulo para geração fotovoltaica de 12 TWh/ano.
O mapeamento dos níveis e faixas de irradiação mostram a viabilidade técnica e econômica para a geração de energia fotovoltaica entre as faixas de radiação anual de 5,61 e 5,70 kWh/m²/dia, considerando a melhor faixa de aproveitamento, correspondente a 0,3% do território paulista.
O estudo reúne 25 mapas que mostram o potencial de geração solar em cada uma das regiões do Estado de São Paulo.
Acesse o estudo da Energia Solar Paulista – Levantamento do Potencial, no site www.energia.sp.gov.br

Morar Bem, Viver Melhor
O Morar Bem, Viver Melhor é a Política Habitacional do Estado de São Paulo. Reúne todas as ações e investimentos da Secretaria de Estado da Habitação, como infraestrutura, urbanização, requalificação, acessibilidade, qualidade das construções e equipamentos, cuidados com o meio ambiente, inovações e qualidade de vida para as famílias atendidas.


Fonte: AI

Anúncios

Ajude na discussão do tema. Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s