Setor de hotelaria investe em energia elétrica solar para reduzir despesas e minimizar impacto ambiental

Proger Turismo viabiliza implantação de painéis solares em hotéis com faturamento bruto de até R$10 milhões

 

Economizar no valor da conta de luz já tornou-se questão de sobrevivência no setor hoteleiro. Estima-se que, na grande maioria dos hotéis, o custo com energia seja um dos altos para o negócio. Nesse contexto, a geração da energia elétrica solar surge como uma luz no fim do túnel para reduzir o valor da conta, diminuir a emissão de CO2 e utilizar uma fonte de energia limpa e renovável. A boa notícia é que, se antes, transformar luz solar em energia era uma realidade muito distante para pequenas e médias empresas, hoje em dia, esse processo tem se tornado cada vez mais acessível e, até mesmo, vantajoso. O segredo está em trocar o valor da conta de luz, que nunca acaba e sempre tem reajustes, por um financiamento que já começa menor que a conta de luz no primeiro mês e tem data para acabar, deixando o empresário livre do custo recorrente da conta de luz por mais de 25 anos.

A solução foi a escolhida pelo Hotel Spaventura. Localizado em Ibiúna, a 75 quilômetros da capital paulista, a estância turística foi a primeira a gerar energia solar fotovoltaica para suprir 100% do seu consumo. Ao todo, para a conversão da energia foram instaladas 167 placas fotovoltaicas, responsáveis pela geração de 5.000 KWh por mês. A instalação, realizada em outubro de 2013, foi a opção encontrada pelo proprietário, Alexandre Haberkorn, para contribuir de maneira efetiva para a redução de CO2 no meio ambiente e reduzir os custos com a conta de luz. “A energia solar fotovoltaica é uma forma bastante prática e eficiente de combatermos as mudanças climáticas e todos os problemas a ela associados. Vivemos uma crise socioambiental nunca vista e temos o dever de fazer algo para minimizar esses problemas. Produzir energia limpa é uma das formas para caminharmos para um futuro mais sustentável”, acredita.

Desde 2012, a resolução federal da ANEEL (REN482), permite que o consumidor produza energia para consumo próprio a partir de fontes renováveis e forneça o que sobrar para a distribuidora. Em março desde entrou em vigor a revisão da resolução da ANEEL (REN687) que trouxe muitas melhorias e incentivos para residências, edifícios, empresas, comércios e indústrias. As mudanças estabelecidas oferecem facilidades e incentivos ao consumidor para que este invista na sua própria geração de energia elétrica e assuma o controle de sua conta de luz. “A expectativa do MME com programa ProGD é que até 2030 existam 2,7 milhões de unidades de microgeração instaladas, entre residências, comércios, indústrias e o setor agrícola, o que pode resultar em 23.500 MW de potência distribuídos”, comenta Hewerton Martins, fundador da Solar Energy do Brasil, empresa líder na implantação de sistemas solares no país .

Gerar a própria energia em casa, empresa e hotel garante a independência da variação de preços e impostos da conta de luz. Quando não estiver usando energia, a eletricidade gerada pelo sistema fotovoltaico vai direto para a rede e, desta forma você “empresta” a energia produzida para a concessionária. Essa energia se transforma em créditos que podem ser usados para abater o valor da conta de luz. “Os projetos de geração solar são desenvolvidos para suprir 100% do consumo da conta de luz. O consumidor paga apenas a tarifa mínima que pode variar de 30,00 a 100,00 reais dependendo o tipo de conexão com a rede, proporcionando uma economia superior a 95% na conta de luz. Uma vez que você produz a totalidade de seu consumo. Hoje gerar sua própria energia é um investimento extremamente vantajoso, principalmente, para pequenas e médias empresas que possuem um alto consumo de energia e pagam taxas mais altas”, aponta Martins.

Para empresários do setor hoteleiro que pretendem investir nessa fonte de energia, a instalação pode ser feita no próprio estabelecimento ou numa área remota (terreno), desde que coberto pela mesma concessionária de energia os créditos podem abater a conta de luz. Hoje desenvolvemos uma solução completa já com financiamento que fica menor que a conta de luz, a grande vantagem esta na carência de 30 meses, ou seja nesse momento de crise, há um aliveo no caixa da empresa em razão da carência, e parcelas menores que o valor pago na conta de luz. Para hotéis que possuem um faturamento bruto anual de até R$10 milhões, o Proger Turismo, linha de crédito destinada a modernização ou ampliação dos empreendimentos da área, financia projetos de até R$1 milhão em 120 meses com encargos reduzidos. Tal incentivo proporciona diversos benefícios ao setor e a população em geral, “O uso da energia solar tem muitos pontos positivos. Ela reduz a conta de energia logo no primeiro mês de funcionamento do sistema fotovoltaico, ajuda ao meio ambiente e ainda contribui para postergar os pesados investimentos em infraestrutura para a ampliação do parque elétrico nacional”, finaliza Hewerton Martins.

Sobre a Solar Energy do Brasil
http://solarenergy.com.br
(41) 2108-1875

A Solar Energy do Brasil foi fundada em 2011, pelos irmãos Henderson e Hewerton Martins, que estavam determinados a gerar energia elétrica limpa e renovável. Pioneira e líder em geração de energia elétrica solar no Brasil, a Solar Energy oferece soluções completas para os segmentos residenciais, comerciais e industriais.


Fonte: Assessoria de Imprensa

Anúncios

Ajude na discussão do tema. Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s