Programa Eco Malzoni: transformando espaços e pessoas

Edifício conseguiu reduzir significativamente o lixo enviado para aterros sanitários

O programa Eco Malzoni de gerenciamento de resíduos vem sendo implantado desde outubro de 2015 no Edifício Pátio Victor Malzoni, com o objetivo de diminuir desperdícios e aumentar a conscientização e o envolvimento dos usuários na questão da reciclagem.

Com o mote “transformar espaços e transformar pessoas”, o projeto já conseguiu diminuir significativamente o lixo enviado para aterros sanitários. Só em fevereiro, foram enviadas à reciclagem 18 toneladas de resíduos, contra uma média mensal de 1,3 tonelada antes do início do projeto. Já a produção de adubo a partir do sistema de compostagem do lixo orgânico do prédio totalizou 3,6 toneladas no mês.

O Programa Eco Malzoni, desenvolvido com a orientação do engenheiro agrônomo Rui Signori, da consultoria Arueira Ambiental, empresa indicada pela Bioideias, teve início com o diagnóstico dos tipos de resíduos gerados no empreendimento (orgânico, papel, plástico, vidro, alumínio, resíduos especiais e resíduos não recicláveis). A partir da compreensão dos mais frequentes e seus volumes, foram propostas soluções para receber e destinar cada um deles.

“Percebemos, por exemplo, que havia muito descarte de isopor e firmamos parceria com uma empresa que recicla o produto. O mesmo aconteceu com o vidro”, diz Signori. Com três restaurantes no empreendimento, a geração de lixo orgânico se mostrou significativa e a implantação de um sistema de compostagem no próprio prédio para produzir adubo foi a melhor solução.

O projeto Eco Malzoni envolve ainda coleta de bitucas de cigarro para reciclagem; logística reversa das cápsulas de café; adequação das lixeiras nos halls de serviço do prédio para armazenar melhor o tipo e dimensão de lixo gerado por cada empresa; e a criação do Ecoponto, para que os usuários possam descartar o lixo reciclável trazido de casa.

“Hoje temos uma Central de Gerenciamento de Resíduos, que zela para que o sistema funcione adequadamente e todos os processos desenhados sejam corretamente seguidos”, diz Flávio Engel, gerente de operações prediais da CBRE – administradora do condomínio.

Todo esse trabalho não seria possível sem a conscientização e o engajamento dos usuários. “Apresentamos o diagnóstico realizado para os gestores das empresas ocupantes do prédio e praticamente todos implantaram mudanças no seu descarte e separação de resíduos de forma a facilitar o trabalho na ponta”, diz.

No BTG Pactual, por exemplo, os postos de trabalho agora contam com uma lixeira colorida, com divisórias para o descarte de plástico, papel e material não reciclável. Nas áreas comuns, além de lixeiras grandes para esses mesmos materiais, foram instalados também recipientes para o descarte de metal, vidro e copos usados.

Segundo Juliana Roldan, responsável pelas áreas de compras e contratos do BTG Pactual, o direcionamento dado pelo condomínio foi fundamental para que o banco aprimorasse seus processos de reciclagem. Hoje, o mesmo sistema é adotado nos escritórios de São Paulo e Rio e em breve será levado para as demais cidades onde atua.

A Tecnisa, outra ocupante do prédio, desenvolveu um trabalho de conscientização dos seus colaboradores por meio de comunicados periódicos e workshops sobre a importância da gestão correta dos resíduos. Também substituiu gradativamente as antigas lixeiras por coletores específicos por tipo de resíduo, como papel, pilhas e baterias. Atualmente, a empresa tem coletores para todos os tipos de resíduos gerados no escritório e uma equipe de limpeza apta a realizar a segregação visando a otimização do potencial de reciclagem.

RAIO X DO PROJETO ECO MALZONI

  • Itens reciclados
  • bitucas de cigarro;
  • capsulas de Nespresso;
  • vidros;
  • papelão;
  • papel branco;
  • papel misto;
  • plástico misto;
  • metal (latas de alumínio);
  • sucata;
  • isopor;
  • resíduos orgânicos.

  • Números de fevereiro:
  • 640 kg de adubo
  • 18 toneladas de resíduos enviados para a reciclagem – aumento de 1.384% frente à média mensal anterior ao programa

 

Sobre o Edifício Pátio Victor Malzoni

Localizado na avenida Brigadeiro Faria Lima, n° 3.477,  é um dos marcos da arquitetura da cidade de São Paulo. É um edifício verde que alia o que há de mais moderno em tecnologia e sustentabilidade com preservação do patrimônio histórico.  Suas duas torres se conectam por um pórtico gigante de 30 metros de altura por 45 metros de largura que servem de moldura para uma Casa Bandeirista do século XVIII. Com 20 andares e seis subsolos, o edifício Patio Victor Malzoni é o prédio com a maior laje corporativa na cidade, 5 mil metros quadrados.


Fonte: Assessoria de Imprensa

Anúncios

Ajude na discussão do tema. Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s