Fixação biológica do nitrogênio é opção sustentável e econômica

O processo utiliza bactérias no enriquecimento do solo com um dos principais elementos da produção agrícola

agricultura sustentável

A fixação biológica do nitrogênio é um processo de interação de bactérias com a planta (Pedro Reyna/ Flickr/ CC / reprodução)

O nitrogênio é um dos elementos fundamentais para que haja produção agrícola. No entanto, o processo é mais complexo que apenas utilizar o conhecido adubo nitrogenado. O Brasil Rural conversou com a pesquisadora da Embrapa Agrobiologia, Cristhiane Amâncio, sobre a fixação biológica do nitrogênio e as suas técnicas de utilização.

A pesquisadora explica que o nitrogênio é importante para o crescimento vegetal em especial em solos tropicais que são pobres desse nutriente, como é o caso do Brasil.

Cristhiane Amâncio explica que algumas bactérias que já existem no solo se associam a raízes de algumas plantas, como feijão e soja, formando nódulos e convertendo o nitrogênio presente no ar em nutriente pra planta. Esse processo que a planta não consegue realizar sozinha pela fotossíntese ou pela respiração, é uma interação simbiótica e é chamado de fixação biológica do nitrogênio, um serviço ambiental importante prestado pela própria natureza. “Depois da fotossíntese, ele é considerado pelo meio acadêmico o mais importante processo biológico do planeta, por conta dessa fábrica de adubo. É um adubo natural. Tem uma questão ambiental e uma questão econômica evolvida, em especial para o feijão, considerando o papel do feijão na alimentação do brasileiro, na segurança alimentar e nutricional e na própria comercialização pro agricultor.” explica Cristhiane.

Ela explica também que os custos de produção não muito elevados e os preços competitivos da soja do mundo se deve a fixação biológica de nitrogênio.

A pesquisadora ressalta que a análise do solo das propriedades rurais é essencial para entender a necessidade do seu solo e não utilizar adubo nitrogenado desnecessariamente, o que desperdiça dinheiro e pode atingir o ar e os lençóis freáticos. “Além das leguminosas, que são as mais famosas por causa da soja, já existem inoculantes comerciais disponíveis no mercado para o milho. Já estão em testes também para arroz e cana-de-açúcar. Existem também plantas que podem ser usadas como adubo verde, que auxiliam na cobertura do solo e quando substituídas deixam o solo nitrogenado”, ressalta.

No site da Embrapa, o agricultor consegue acessar informações sobre as principais culturas que já possuem inoculantes e informações sobre onde encontrar e adquirir o insumo, além de vídeos que explicam o processo de uso e aplicação.

O Brasil Rural é transmitido de segunda a sexta e aos domingos, às 6h, e sábado, às 7h, nas rádios Nacional de Brasília e Nacional da Amazônia.


Fonte: EBC

Anúncios

Ajude na discussão do tema. Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s