Artesãos provam que móveis podem ser feitos com material reaproveitado

Semana da Sustentabilidade reúne iniciativas de empresas e cooperativas.
Artesanato sustentável ganha mercado e pode produzir renda.

Clique na imagem para assistir a reportagem (Imagem: G1/reprodução)

Clique na imagem para assistir a reportagem (Imagem: G1/reprodução)

Para sala, um armário rústico de madeira, com acabamento simples nas portas e gavetas. Para o terraço, quem sabe uma mesa feita de bobina, sem pintura e com rodinhas. Tem armário para cristais ou peças delicadas. A combinação de madeira e vidro chama atenção.

Tudo foi feito com madeira, um produto em alta no mercado, mas hoje já é possível obter o material sem derrubar mais árvores. A madeira de alguns dos móveis mostrados na Semana da Sustentabilidade está sendo reaproveitada. O que não servia mais para fábricas e a indústria foi parar nas mãos dos trabalhadores de uma cooperativa de moradores da Vila Maranhão.

O que não tinha utilidade ganhou forma nas mãos de Maria Raimunda Cantanhede, que comanda uma equipe de quatro pessoas para montar uma dessas peças. O ponto de partida para a produção dos móveis começa na seleção do material, separar o que vai para marcenaria e o que será transformado em carvão.

Todo trabalho é feito de forma sustentável e com a ajuda de cinco máquinas. O trabalho além de dar uma utilidade às sobras, também produz renda.

Ideias para todo lado: até a caixa de frutas virou um sofá. Pneus velhos foram transformados em banquinhos.

E não são só os móveis que estão ganhando o mercado sustentável. O artesanato também está de cara nova. O artesão José Antônio Oliveira trabalha com a decupagem e pintura de telhas. Dependendo da técnica e do material usado dá para fazer até duas peças por dia.

Em termos de preço, tudo que é sustentável é mais barato. Um banco pode custar até R$ 80. A telha decorada, R$ 40. Ideias inovadoras estão influenciando o mercado.

Segundo o Sebrae, a quantidade de pequenos negócios cresceu nos últimos anos. Hoje, 52% dos empregos no país estão nos pequenos negócios. Só no Maranhão, existem 224 mil empresas, desse total 70 mil são empreendedores individuais. A parceria do Sebrae com quem está começando está ajudando no crescimento, conforme explica o diretor-superintendente do Sebrae-MA, João Martins.

Fonte: G1

Anúncios

Ajude na discussão do tema. Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s